Voar para Longe

domingo, 22 de junho de 2008

Israel (Tel-Aviv, Jerusalém, Belém, Mar Morto)


Partida: do Aeroporto de Lisboa
Data: dia 24 de Maio de 2000 (4ª feira)
Vôo da Swiss Air: SR 693

Partida do avião: 15h40

Destino: Zurich - Suiça


Chegada: ao Aeroporto de Zurique


Chegada do avião: 19h15 (hora local)

Duração da viagem: 2h35

Diferença horária: + 1h


Partida: do Aeroporto de Zurique
Data: dia 24 de Maio de 2000 (4ª feira)
Vôo da Swiss Air: SR 336

Hora prevista de partida: 21h10

Partida do avião: 22h00


Destino: Tel-Aviv - Israel


Chegada: ao Aeroporto de Tel-Aviv (Sde-Dov Airport)


Data: dia 25 de Maio de 2000 (5ª feira)

Chegada prevista: 1h50

Chegada do avião: 2h20 (hora local)

Duração da viagem: 3h20

Diferença horária: + 2h do que em Lisboa

Estadia: Grand Beach Hotel
250 Hayarkon Street
Tel Aviv 63113

Quarto nº 1219


Duração a Estadia: 6 dias


Passeios e Visitas

Tel-Aviv

Cidade moderna na costa mediterrânea é o centro comercial e financeiro de Israel, assim como o foco da sua vida cultural. Nela estão sediadas as mais importantes organizações industriais e agrícolas, a Bolsa de Valores, os principais jornais, periódicos e editoras. A Avenida Ha-Yarkon, avenida da praia, possui os maiores arranha-céus da cidade. Primeira cidade hebraica dos tempos modernos foi fundada em 1909 como um subúrbio de Jaffa, uma das mais antigas cidades do mundo. Em 1934, Tel Aviv foi elevada à categoria de município e, em 1950, foi fundida com Jaffa, absorvendo a antiga cidade. A área em torno do antigo porto de Jaffa, com a sua aparência medieval, tornou-se uma colônia de artistas e um centro turístico, com galerias, restaurantes e clubes noturnos.




Praia de Tel-Aviv


Promenade

Passeio ao longo da costa







Jaffa

Jaffa é uma cidade de Israel, vinculada ao município de Tel Aviv, famosa pelo porto antigo e pelo centro histórico. Jaffa e Tel Aviv formam uma única região metropolitana.O nome significa, em língua hebraica, "bela". As tradições dizem-nos que esse nome foi dado a essa cidade por causa do brilho do sol que reflectia nos edifícios.


Bethlehem (Belém)

No idioma hebreu, Bet-lehem significa Casa do pão, enquanto em árabe a cidade se chama Bet-laham, Cidade da carne, quase um emblema da encarnação. Como em Jerusalém, também na pequena cidade de Belém, assim como na Basílica, cruzam-se as três religiões: os cristãos a veneram, os muçulmanos sempre a respeitaram como lugar da mãe de Jesus e, para os judeus, é o lugar onde nasceu um judeu, Jesus de Nazareth, uma das grandes figuras do judaísmo.


Basílica da Natividade

A Basílica da Natividade é reconhecida por muitos como a basílica mais antiga de Jerusalém. A sua construção data do ano de 326, quando teria sido ordenada por Santa Helena, mãe do imperador romano Constantino.


Gruta da Natividade - Cruz de David



Monte das Oliveiras

Monte das Oliveiras é um monte situado a leste de Jerusalém, onde, segundo a Bíblia sagrada, Jesus Cristo transmitiu alguns de seus ensinamentos.




Igreja e Mosteiro do "Padre Nosso" (Claustros)


Jerusalém

Jerusalém, a capital eterna de Israel, localizada no centro do país é aninhada nas Colinas da Judéia. As suas pedras centenárias são impregnadas por três mil anos de história, desde que o Rei David fez dela a Capital do seu Reino. Com os seus numerosos pontos históricos e santuários é local de culto para judeus, cristãos e muçulmanos.
O incandescente fulgor de Jerusalém, dourada à luz do sol e prateada sob o luar, só é rivalizado pelo caleidoscópio da sua população. Gente vestida em todos os estilos da moda actual mescla-se a judeus ultra-ortodoxos vestidos de negro, mulheres árabes com as suas longas túnicas bordadas e clérigos cristãos envergando sombrias batinas.
A moderna Jerusalém cresceu em torno da Jerusalém intra-muros; cidade dinâmica, a sua população de aproximadamente meio milhão de habitantes, espalha-se por uma área de 100 km², entre colinas e verdes vales.


Portão de Damasco

Chamado o Portão de Shechem pelos judeus, os árabes lembram-se deste portão como o "Portão da Coluna" por causa do alto pilar que esteve na praça deste portão durante o período romano e bizantino.



Porta de Jaffa

Tem este nome porque parte dele é a estrada que conduz ao porto de Jaffa (Jope). Esta porta é a única no lado ocidental da Cidade Velha de Jerusalém (oeste), de todos as portas, esta é a mais movimentada e é a que dá entrada para a Torre de David.



Torre de David

A Cidadela de Jerusalém situa-se ao longo do muro da cidade antiga, perto da Porta de Jaffa, dando vista para dois vales. Ao longo dos anos, os muitos governantes de Jerusalém usaram a fortaleza para defender as suas tropas de ataques internos e externos. Em muitos momentos da história, os exércitos romanos, judeus, muçulmanos e cristãos ocuparam a Cidadela. A fortaleza situa-se perto do local onde foi construído um palácio por Herodes, o Grande. Uma das torres erguidas por ele ainda está de pé e encontra-se incorporada à Cidadela. Apesar de os historiadores e arqueólogos terem concluído que a fortaleza foi construída após a época do rei David, que morreu em 961 a.C., ela é frequentemente chamada de Torre de David.





Cúpula da Rocha

Cúpula da Rocha ou Domo da Rocha é um dos nomes atribuídos aos alicerces em que estão apoiadas as fundações localizadas no subsolo da Mesquita de Omar. Segundo as estimativas de historiadores mais minuciosos, sob essas fundações existe uma "rocha sagrada", localizada exactamente sob a cúpula da mesquita de Omar. Ou seja, no cume de um altiplano denominado Monte Moriah existe uma construção que inscreve um altar usado em sacrifícios. Além do interesse religioso, a vistosa cúpula toda dourada é parte integrante da paisagem de Jerusalém e património da humanidade reconhecido pela UNESCO como interesse histórico, turístico e arquitectónico.



Igreja de Sta Maria Madalena

A Igreja de Maria Madalena é uma Igreja Ortodoxa Russa localizada na encosta do Monte das Oliveiras em Jerusalém. A igreja é dedicada a Miryam de Migdal (Maria Madalena), uma seguidora de Jesus. Maria Madalena foi a primeira a ver Cristo depois que ele foi ressuscitado, e foi um elemento crucial e importante discípulo de Jesus, e aparentemente o seu principal associado feminino. A igreja foi construída em 1886 pelo Czar Alexander III.




Muro das Lamentações


O Muro das Lamentações, ou Muro Ocidental, é o local mais sagrado do judaísmo.
Trata-se do único vestígio do antigo templo de Herodes, erigido por Herodes o Grande no lugar do Templo de Jerusalém inicial. Foi destruído por Tito no ano de 70. Muitos fieis judeus visitam o Muro das Lamentações para orar e depositar os seus desejos por escrito. Antes da sua reabilitação por Israel, após a Guerra dos Seis Dias, em 1967, o local servia de depósito para incineração de lixo.






Via Dolorosa

A Via Dolorosa é uma rua na cidade velha de Jerusalém, começa na Porta de Santo Estevão e percorre a parte ocidental da cidade, terminando na Igreja do Santo Sepulcro.
De acordo com a tradição cristã foi por este caminho que Jesus Cristo carregou a cruz. A rua possui nove das catorze estações da cruz. As 5 últimas estações estão no interior da Igreja do Santo Sepulcro.


Igreja do Santo Sepulcro

A Basílica do Santo Sepulcro é um local onde a tradição cristã afirma que Jesus Cristo foi crucificado, sepultado e de onde ressuscitou no Domingo de Páscoa. Constitui um dos locais mais sagrados da cristandade.





Ramat Gan

Ramat Gan é uma cidade de Israel, imediatamente a leste de Tel Aviv. Tem cerca de 150.000 residentes. 25% do terreno de Ramat Gant é constituido de áreas verdes, sendo uma das zonas urbanas mais "verdes" de Israel. Gan significa "parque" em hebraico.
Ramat Gan é tida por alguns como o maior "mercado de diamantes" do mundo, com o seu bairro próprio. Em Ramat Gan situa-se o edifício mais alto do Médio Oriente, com 244 metros, o City Gate de Ramat Gan.

Bairro onde mora a minha prima e o namorado. Jantámos em casa deles.





Mar Morto

O Mar Morto é um mar de água salgada do Médio Oriente. Com uma superfície de aproximadamente 1050 kms quadrados, correspondente a um comprimento máximo de 80 kms e a uma largura de máxima de 18 kms, é alimentado pelo Rio Jordão e banha a Jordânia, Israel e a Cisjordânia. Nos últimos 50 anos, o Mar Morto perdeu um terço da sua superfície, em grande parte por causa da exploração excessiva do seu afluente, única fonte de água doce da região, para além da natural evaporação das suas águas. Contudo, os especialistas são de opinião que, dentro de alguns anos, esta perda tenderá a estabilizar paralelamente à estudos que levem à sua conservação e preservação, portanto, o desaparecimento do Mar Morto não aconteceria, segundo estes, nem hoje nem no futuro. Há três mil anos são conhecidas as qualidades terapêuticas das águas do Mar Morto e das fontes naturais da circunvizinhança. Em qualquer época do ano é grande o número de turistas que vêm gozar o ar livre de pólen, formado pela alta pressão atmosférica e a irradiação solar filtrada. Hotéis modernos, locais desérticos para passeio, shopping, salões de beleza formam um verdadeiro recanto para lazer, tratamento cosmético e de embelezamento ou convalescença. Aproveite tudo o que o local oferece: Flutue sobre as águas, mergulhe nas piscinas sulfurosas; esfregue no seu corpo as lamas pretas naturais; visite os oásis, quedas d’água, cavernas e os locais históricos da região; suba de teleférico para Massada, onde se localiza o palácio de Herodes – este local tornou-se o símbolo do heroísmo judaico na revolta contra os romanos; visite a reserva natural de Ein Guedi, com seus exemplares únicos da flora e da fauna da região, passe um dia de aventuras no deserto da Judéia, escalando os escarpados penhascos; não deixe de visitar Qumeran, a colónia essênia em cujas cavernas estiveram ocultos, durante dois milanos, os pergaminhos do Mar Morto. O Mar Morto tem esse nome devido a grande quantidade de sal por ele apresentada, dez vezes superior à dos demais oceanos, o que torna impossível qualquer forma de vida - flora ou fauna - nas suas águas. Qualquer peixe que seja transportado pelo Rio Jordão morre imediatamente, assim que desagua neste lago de água salgada. A sua água é composta por vários tipos de sais, alguns dos quais só podem ser encontrados nesta região do mundo. Em termos de concentração, e em comparação com a concentração média dos restantes oceanos em que o valor de gr de sal, por cem ml de água, não passa de três gr, no Mar Morto essa taxa é de 30 a 35 gr de sal por 100 ml de água, ou seja, dez vezes superior.




Massada

Massada ergue-se imponente e isolada, no Deserto da Judéia. Localizada na costa ocidental do Mar Morto - o ponto mais baixo da terra, Massada é também um local de severa e majestosa beleza. Há dezanove séculos atrás, foi o cenário de um dos mais dramáticos episódios da história. Neste local, um grupo de combatentes, em prol da liberdade, se ergueu contra a velha e poderosa Roma e preferiu a morte ao jugo do opressor.
Na metade do primeiro século da Era Comum, a fortaleza construída por Herodes, o Grande, em Massada, foi ocupada por um pequeno grupo de combatentes judeus e suas famílias. No ano 70 a.C., quando o general romano Tito conquistou e saqueou Jerusalém, destruindo o Templo, após quatro anos de violenta revolta, um grupo de guerreiros escapou do cativeiro e juntou-se aos habitantes de Massada. Eram cerca de 2000 pessoas.
Por dois anos, eles resistiram às investidas dos romanos e seu controle sobre Massada era absoluto. Até que, no ano 72 a.C., o governador romano Flavio Silva ordenou que 15 mil soldados romanos acampassem no sopé da montanha sitiando os moradores. Os romanos construíram uma muralha em torno de Massada, e uma maciça rampa de pedras e terra. Baseando-se em relatos de dois sobreviventes, o historiador Flavio Josefo, descreve como os defensores observavam os preparativos para a investida final.
Ao compreender que o desfecho estava próximo, os líderes de Massada conclamaram os seus seguidores a permanecerem fiéis à causa pela qual haviam lutado tão longa e bravamente. "Antes morrer do que sermos escravizados por nossos inimigos. Deixaremos este mundo como homens livres".
Quando os romanos finalmente escalaram Massada e atravessaram as suas muralhas, encontraram 960 homens, mulheres e crianças mortos por suas próprias mãos. Eles haviam deixado as provisões de água e alimentos intactas, para que os romanos soubessem que haviam preferido a morte à escravidão.
Durante muitas gerações, a história de Massada foi considerada como quase lenda. No entanto, em 1963, uma expedição arqueológica internacional provou que a lenda era verdadeira revelando muitos detalhes até então ignorados.
Massada transformou-se no símbolo da determinação de um povo em ser livre na sua própria terra. Dois mil anos depois, o sacrifício dos heróis de Massada permanece uma lembrança viva do amor à liberdade, tão importante para a nação judaica de hoje como o foi em antigas eras.

Teleférico até à Fortaleza do Rei Herodes





Fortaleza do Rei Herodes



Ein-Gedi Spa (Termas)

O Ein Gedi Spa é um ultra moderno estabelecimento que oferece uma combinação única de saúde e relaxamento. Dentro do Spa existem piscinas ricas em minerais e fontes termais naturais. A temperatura da água nas piscinas é uma constante, 38 graus C, a temperatura ideal para um relaxante mergulho. Existem chuveiros, armários, e um enorme salão de relaxamento onde os visitantes podem deitar-se cadeira confortável. Este é o lugar ideal para tomar um banho no Mar Morto. Existe um caminho directo a partir do Edifício Spa até a margem d'água.






Porto de Haiffa




Dia 28 de Maio de 2000:

Casamento judaico da minha prima Rebecca e o seu noivo israelita Josef


Partida: do Aeroporto de Tel-Aviv

Data: dia 30 de Maio de 2000 (3ª feira)

Vôo da Swiss Air: SR 333

Hora prevista da partida: 16h15

Partida do avião: 16h36 (hora local)


Destino: Zurich - Suiça



Chegada: ao Aeroporto de Zurique



Chegada do avião: 19h40 (hora local)
Duração da viagem: 3h



Partida: do Aeroporto de Zurique
Data: dia 30 de Maio de 2000 (3ª feira)
Vôo da Swiss Air: SR 694
Partida do avião: 20h40

Destino: Lisboa - Portugal


Chegada: ao Aeroporto de Lisboa



Data: dia 30 de Maio de 2000
Chegada do avião: 22h25 (hora local)
Duração da viagem: 2h30

14 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Mais uma excelente reportagem.
Admiro a tua organização... não te escapa nada...

Miminhos e beijinhos para ti cara amiga.

A Marcinha* !!! disse...

Sua observação e gosto são algo inexplicável....quero uma viagem dessassssssssssss, quero mais fériasssssssssssss!!!\ rsrsrsrsr


Belíssimo!!!!

Bjs....Marcinha*

Fátima disse...

Olá Pipinha, vim espreitar as tua viagens! Acho o teu Diário uma ideia fantástica! De repente sinto-me tão longe... he!he! É fascinante como tens tudo registadinho! Gostei muito!

Beijinhos recheados de energias positivas ♥

Pena disse...

Amiga Pipinha:
Simplesmente espectacular.
Olhe, o que foi visitar, eu digo-lhe:
Tel-Aviv e a sua deslumbrante praia.
Jaffa, bela cidade de nome surgido do hebraíaco.
Belém. Linda. Alvo de atenções por causa de Jesus de Nazareht. Respeito o judaísmo. Cheguei a estudá-lo como autodidata.
A deslumbrante Gruta da Natividade.
Magnífica.
Monte das Oliveiras, espectacular.
A adorada pela humanidade, cidade de Jerusalém com três mil anos de História.
Ainda há mais:
Igreja de Santa Maria Madalena.
O Muro das Lamentações, repleto de significado.
A Igreja do Santo Sepulcro.
Olhe, fiquei fascinado.
Parabéns. Viu um Mundo poderoso de encantar. Viajei também, acredite?
Porque não me disse que tinha aqui esta preciosidade. Viria a correr.
Excelente!
Sensacional!
Bj amigos de estima e respeito.
Sempre a admirá-la


pena

Menina disse...

Admiro-te muito pelas viagens todas que já fizeste e pelo grande promenor com que descreves tudo aqui..é impressionante mesmo =)

Partilho este gosto de viajar contigo..e até já conheci alguns países...mas quero sempre mais =)

beijinhos**

RESSACA disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

São disse...

Muito informativa e com interessantes fotos.
Que os noivos sejam felizes!
Tudo de bom.

mundo azul disse...

...que maravilha!
Feliz é quem consegue viajar assim... Conhecer esses lugares tão significativos!

Adorei!!!

Beijos de luz e o meu carinho...

Luis F disse...

Amiga

Ler este teu diário e partilhar e comungar da tua viagem.

Os meus parabéns... adorei seguir passo a passo.

Com amizade

Luis

Deusa Odoyá disse...

Oi minha estimada amiga.
Parabéns por essas lindas fotos e sua viagem como sempre muito bem elaborada.
Uma aula de história de diversos países.
Adorei e continuarei a viajra contigo amiga.

Beijos e uma boa semana com muita paz e amor em seu coração.

Te aguardo no me cantinho

Regina Coeli.

Sunshine disse...

Olá Pipinha!!

Obrigado pela visita e pelas tua palavras simpática... "mi casa és tu casa" sempre bemvinda.

Estive percorrendo a tua viagem e fiquei fascinada, confesso que não li tudo daí que virei com mais tempo ler com toda a atenção a "reportagem" desta viagem fantástica.

Bjinhos com toda a amizade :)

PS: Vou linkar. Posso??

Maria Soledade disse...

Pipinha:UUUUUUUUUFFFFFFA!!!!!Estou cansada!O que eu viajei em tão pouco tempo!!

Mas...se valeu a pena!!!LINDO!...

E a organização?Meu Deus, a Pipinha de certeza que deve ter a mesma panquita que eu:ORGANIZAÇÕES!

Eu já conheço um pouco de Israel,não porque lá tivesse ido, mas pelas reportagens que o meu irmão lá fez.Foi jornalista durante mais de duas décadas,e trazia sempre para Portugal todas as imagens colhidas por todos os países porque passou,principalmente
cenários e cenários de guerra.

Assim se adquire muita cultura:VIAJANDO!

Olha Pipinha,eu cá,tudo o que meta aviõesinhos...fico em terra!!

Nikles!!nananinanão, a mim ninguém me apanha dento de um avião!!!FOGE...

Não consigo ultrapassar a barreira dessa fobia,embora o meu marido me diga que um dia me droga todinha e eu lá vou...mas,também não tinha piadinha nenhuma porque assim não usufruía das paisagens,né mesmo?!

Quem anda nesse "treco" diz que as nuvens até parecem algodão,mas eu cá prefiro olhar as nuvens com os meus pézinhos bem assentes na Terra, não vá o diabo tecê-las!!...

ADOREI:::ADOREI:::ADOREI...

Ah, é verdade!Prometi e cumpri,aínda vim cá hoje.

Pipinha, agora vou dar lugar ao meu ninhinho que já vão sendo horinhas...

Já deixei o meu agradecimento ao comentário que me fizeste ao meu trabalho.

Nana bem.Até amanhã minha amiga
*Desculpa tratar-me por tu Pipinha, mas amigos, por voçê, a mim cheira-me a queque, e eu não gosto de "QUEQUES"!...

Queques p'ra mim, só doces!...

Sempre Amigas/EUZINHA...

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Uma viagem Santa à Terra Santa, beleza pura, Pipinha!Bjs

Pena disse...

Maravilhosa Amiga:
Um sonho que hei-de concretizar um dia, a ida a Tel-Aviv!
"A ocupação da área que se chama Tel Aviv (monte da primavera, em hebraico) foi iniciada em 1880, ao norte da cidade de Jafa, onde as áreas, então pertencentes ao árabes, eram relativamente caras. No ano de 1909 a cidade foi fundada com o nome de Ahuzat Bayit, com a intenção de ser apenas uma cidade-dormitório, e foi posteriormente renomeada para Tel Aviv. No entanto, por volta de 1921 houve problemas entre as comunidades árabe e judaica em Jafa, que culminou com a criação do distrito comercial de Tel Aviv, proporcionando à cidade seu primeiro momento de rápido crescimento populacional. O plano diretor foi implementado em 1925 pelo então prefeito Meir Dizengoff, hoje lembrado na mais importante avenida desta cidade.
A população israelense como um todo, e portanto a de Tel Aviv também, cresceram muito com a subida de Adolf Hitler e dos nazis ao poder na Alemanha em 1933 e, posteriormente, depois da Segunda Guerra Mundial.
Jafa terá sido o grande núcleo de desenvolvimento até ao século XX, historicamente alvo de conquistas e reconquistas. Originalmente era uma cidade fenícia, constituindo um importante porto de mar até 1965, data em que foi encerrado o porto e concluído o porto de Ashdod.
Da sua história, é de referir que de 1196 até ao século XVI esteve sob o domínio árabe, até que foi anexada pelo Império Otomano. Em 1799, foi conquistada por Napoleão Bonaparte e na Primeira Guerra Mundial foi reconquistada pelas tropas britânicas.
Durante a primeira guerra Árabe-Israelense 14 de Maio de 1948, após ser proclamado o Estado de Israel, houve o bloqueio de Jerusalém, e a capital foi momentaneamente transferida para Tel Aviv, passando, em 1949, o Governo para Jerusalém. A maioria dos países, no entanto, manteve as embaixadas em Tel Aviv, com o fim de evitar tomar posições sobre a questão da posse da cidade.
Em 1950 as cidades de Tel Aviv e Jafa foram unificadas (Tel Aviv-Yafo) e desde então são o centro comercial e financeiro do Estado de Israel.
Diversas vezes alvo de ataques terroristas, durante a Guerra do Golfo, em 1991, Tel Aviv foi alvo dos mísseis Scud iraquianos. Mais recentemente, durante o conflito no Líbano (Julho e agosto de 2006) o Xeque Hassan Nasrallah, líder do grupo terrorista Hezbullah, ameaçou disparar mísseis sobre a cidade. A ameaça porém não foi cumprida..."

Um lugar de deslumbrar numa excelente pesquisa, que para conhecer melhor, também efectuei.
Fantástico!
Um dia visitarei esses sonhos lindos por quem nutro imensa delícia em conhecer.
Beijinhos de admiração e beleza.
Umas férias formidáveis visíveis nas fotos maravilhosas.
Parabéns sinceros.

pena